Algumas explicações e indicações...

by - 16.5.16


Hi Guys!

Bem, para aqueles que não me conhecem, meu nome é Isabelle e eu sou a co-escritora aqui do blog. Não tão assídua, eu confesso, tenho dado umas pisadas na bola feias com vocês e com a Lih. Mês passado, eu não postei pela falta de tempo. E como eu escrevo aqui na parte de textos, contos e crônicas não é algo simples que eu escreva rapidinho. É dependente da minha criatividade e dos meus sentimentos, eu não queria postar algo sem pensar, só para vocês não ficarem sem post, eu prezo muito qualidade, entende? Ou ficou confuso? Enfim, peço perdão pelo vacilo.
Mas, voltando para o que interessa... Depois dessa explicação, ficaria meio esquisito um conto sobre qualquer assunto aleatório, então, resolvi dar uma dica de um blog só de textos que eu amo e eu tenho certeza que vocês também vão gostar.


O blog se chama Entenda os Homens e é escrito por Frederico Alboni e mais 14 escritores. Ou seja, tem texto novo todos os dias! ♥
Por mais que o blog se chame Entenda os Homens, os autores escrevem sobre os mais diversos assuntos. Desde fetiches até política. O criador é o Frederico que é o autor dos livros Um Sorriso ou Dois e Só a gente sabe o que sente, roteirista do Amor e Sexo da Globo e publicitário.
Abaixo, vem alguns fragmentos de textos recentes do blog, só para dar um gostinho e vocês irem lá ler o resto.


Não mexa em minhas fraturas expostas

Ouça o que não digo nem à força, mas não me diga que o melhor a fazer, agora, é berrar o que ricocheteia dentro da cabeça.
Não mexa em minhas fraturas expostas, por favor.
Deixe minhas guerras em paz. Deixe minha paz em guerra.
Eu as cultivo com muita maquiagem borrada e The Cure. Eu as rego com Mertiolathe do antigo, para saber que ainda estão aqui, ardendo em algum canto. Eu preciso delas para me lembrar de que esta terra está cheia de minas, e que nem todas contêm ouro.
Ou negará a existência dos amputados?


Pra ser feliz, permita-se sofrer

E eu sempre achei cruel essa coisa de sofrer calado, como se fosse pecado. Essa coisa de ter dó e certo desprezo por quem chora, por quem ama, por quem sente saudade. Como se cada lágrima só pudesse ser sinônimo de fraqueza, e não de força ou sabedoria.



Nos olhando como se quiséssemos nos encontrar novamente


Juntos somos esse compasso nas artimanhas de matar um leão por dia, chegarmos em casa e curtirmos um banho junto. Então, naquela noite, apontei pro celular e ela sem entender o puxou e me olhou com aquele rosto de que palavras não traduzem. Não quis expor um sentimento abafado, uma saudade esquecida ou uma paixão viva. Nada disso. Quis apenas deixá-la tentar traduzir como éramos, somos e nos tornamos.

****

É isso, espero que tenham gostado da indicação. Até o próximo mês e não esqueçam de visitar o meu blog! Bye!

You May Also Like

2 comentários

  1. Olá Isabelle, tudo bem?
    Uau, que indicação maravilhosa! ♥ Já deixei esse post salvo porque fiquei curiosa para ler o restante dos textos.
    Beijos :*

    http://midnight-skies.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Gaby, tudo sim, espero que com você também. Que bom ♥, fico super feliz que você tenha gostado...
      Beijos :*

      Excluir